INFORME DA DIREÇÃO - 21 de Outubro de 2016


BREVE RESUMO DA REUNIÃO GERAL EBA + FAU

No dia 19 de outubro de 2016, às 11h30, as Direções da FAU e EBA promoveram uma reunião conjunta do corpo docente, discente e técnico-administrativo para avaliar, discutir e deliberar sobre as condições do Edifício Jorge Moreira e panorama de retorno às atividades dos Cursos envolvidos.

 

INFORMES:

Pro-reitor Prof. Eduardo Gonçalves Serra (PR-1) e a Pró-reitora Prof.ª Maria Malta (PR-5) informaram a situação das ações da Reitoria:

- Os laudos técnicos do Corpo de Bombeiros, Polícia Federal e da Perícia (ainda não conclusos) INVIABILIZAM a ocupação do prédio entre o 3º e 8º andares.

- Diante deste cenário, o Reitor Prof. Roberto Leher esteve três vezes em Brasília nas últimas semanas, em reunião com Ministério de Educação, mas ainda não obteve recursos para as obras emergenciais.

- A primeira alternativa proposta para o reinício das atividades FAU+EBA será pela ocupação dos andares inferiores do prédio (1º e 2º, incluindo bloco D), não afetados pelo incêndio.

- Busca-se para o início do semestre 2017.2 o retorno do 3º ao 6º pavimento do prédio FAU/EBA/REITORIA, edifícios vazios ou subutilizados pela UFRJ – entre Matemática, EVIG, CT, CCMN e Letras.

- Todo o esforço de redimensionar o espaço do 1º e 2º pavimentos do prédio FAU/EBA/REITORIA lida em concentrar o uso em unidades de ocupação, objetivando otimizar as atividades da FAU e EBA.

 

Prof. Mauro Santos, diretor da FAU e a Prof.ª Madalena Grimaldi, Vice-diretora da EBA, informaram as seguintes AÇÕES:

- Desenvolver um plano de ocupação das áreas liberadas (em andamento), dentro e fora do prédio afetado, por uma Comissão Reitoria/FAU/EBA.

- Priorizar o retorno das atividades acadêmicas no bloco D e espaços livres do 1º e 2º pavimentos.

- Complementar os espaços físicos para o desenvolvimento das atividades acadêmicas com as salas disponibilizadas por outras unidades da UFRJ, na Cidade Universitária, o mais próximo possível do edifício da FAU/EBA/Reitoria.

- Aprimorar a instalação elétrica do bloco D e Salão Azul, com aumento de carga, para o desenvolvimento do período 2016.2.

- Aumentar o número de banheiros, com a possibilidade de banheiros químicos.

- Possivelmente alocar no prédio de Xistoquímica as salas/grupos de pesquisa dos Programas de Pós-graduação, por possuir espaços menores que os necessários às Graduações.

- Por conta de tais necessidades, o retorno às atividades no dia 24/10 (segunda-feira) está CANCELADO.

 

Os Centros Acadêmicos da FAU e da EBA informaram as principais deliberações da assembleia conjunta realizada na véspera, dia 18 de outubro de 2016:

- O quantitativo de salas de aula e horários para as disciplinas deverá comportar todas as disciplinas eletivas teóricas e práticas da EBA e FAU.

- As aulas teóricas deverão ser retomadas em simultâneo as aulas práticas, isto é, somente quando toda a logística para remanejamento dos nossos mobiliários e demais adaptações forem providenciada e de modo a manter um Calendário Acadêmico unificado.

- Garantia de visitação guiada aos prédios vazios, junto às direções da EBA e FAU e representações discentes até o próximo CONSUNI.

- Retorno às aulas em caráter emergencial somente se houver garantia de um prédio/espaço adequado para iniciar o período de 2017.1, entendendo que as soluções adotadas para 2016.1 não podem ser uma solução permanente.

 

ENCAMINHAMENTOS:

- Manter suspensas as atividades acadêmicas até o dia 4 de novembro de 2016 (retorno PREVISTO para 07/11/2016).

- Manter horários de disciplinas e cronogramas de aula idênticos aos estabelecidos no início do período, com extensão de 2016.2 para o final de janeiro (sem data confirmada).

- Continuidade das reuniões gerais semanais EBA + FAU.

- Apoio às deliberações da Assembleia conjunta dos estudantes.

- Retorno às aulas em caráter emergencial no bloco D e aulas práticas no segundo pavimento para a FAU e o primeiro para a EBA, com infraestrutura adequada, e a garantia de funcionalidade acadêmica e administrativa.

- Solicitar à Reitoria divulgação dos Laudos das Perícias, assinados, atestando as condições de segurança de uso do edifício.

- Solicitar à Reitoria informações precisas sobre recursos financeiros que possam ser utilizados na recuperação do edifício.

- Cobrar da Reitoria prioridade para as obras, de modo que garantam o retorno adequado e seguro do terceiro ao sexto pavimento, ainda para o inicio semestre 2017.2.

- Cobrar da Reitoria solução para a adequação ambiental e o permanente cuidado do acervo do Museu e da Biblioteca de Obras Raras.

- Realizar atividades internas e externas de divulgação da situação em que nos encontramos, reforçando o valor das atividades de mobilização.

- Participação na reunião do CONSUNI no dia 27 de outubro de 2016, apresentando as deliberações da reunião geral conjunta FAU/EBA.

 

Contando com a compreensão e empenho de todos e agradecemos pelos esforços empreendidos por diversos professores, técnicos e estudantes.

 

A Direção.

 

 

 

 

 

 

NOTA OFICIAL - 13 de Outubro de 2016

 

A Direção da Escola de Belas Artes esteve presente hoje no Conselho Universitário para ratificar a difícil situação da Unidade. Externamos o problema da necessidade de solução imediata em prol do retorno das aulas e a questão delicada do Museu D. João VI e da Biblioteca de Obras Raras que estão fechados e sem climatização, colocando em risco o valioso patrimônio da UFRJ.


O Consuni tirou uma moção de apoio e a Reitoria se comprometeu em tentar viabilizar, o mais rápido possível, espaços para que a EBA e a FAU voltem as suas atividades.

 

Também realizamos uma Congregação Ordinária para definir quais são os procedimentos que serão adotados para a retomada das atividades acadêmicas e a alocação dos laboratórios de pesquisa e dos setores administrativos.

Foram esclarecidos alguns pontos:


- A melhor previsão de retorno ao uso completo do edifício é no segundo semestre de 2017. Há muito material pesado (metais e concreto), papel, madeira e plástico a ser retirado;

- Há uma previsão de 6 meses para execução das obras emergenciais de remoção criteriosa do escombro, demolições, escoramentos, tratamento da estrutura e reforço estrutural. Em seguida serão executadas as obras de recuperação caracterizadas pela revisão das redes elétrica, hidro sanitária e de lógica, prevenção e combate a incêndio, dispositivos de segurança e rotas de fuga.

- Alguns Diretores de unidades e centros da UFRJ ofereceram salas para possível uso dos cursos afetados pelo incêndio, mas esse quantitativo é insuficiente as demandas da EBA e FAU; Além disso, essa logística pulverizaria a Unidade o que compromete a qualidade de ensino, visto que o deslocamento não seria fácil para os discentes e a qualidade de ensino não se resume a ter um espaço de sala para aula. É preciso considerar as orientações, laboratórios de pesquisa e atividades de extensão;

- O acesso ao prédio continua restrito do terceiro ao nono pavimentos, pois além das obras emergenciais no oitavo andar, os danos ao reservatório superior ainda não foram determinados, os barriletes e dutos de energia no alto do prédio ficaram inutilizados, o que impossibilita neste momento a ocupação e retorno das atividades;

- O laudo técnico estrutural está sendo feito pela equipe coordenada pelo Prof. Alexandre Landesmann, da FAU, ainda não está finalizado, mas o primeiro relatório afirma que a segurança estrutural do edifício está assegurada;

- As decisões acadêmicas e administrativas estão sendo tomadas conjuntamente com a PR1, PR2, PR4, o CEG e CEPG. A exemplo da suspensão das atividades acadêmicas até o dia 21/10 com previsão de retorno no dia 24/10;

- As atividades administrativas estão sendo retomadas no CLA, ainda que de forma improvisada, concentrando alguns setores; 

- A retirada de materiais urgentes, precisa ser agendada com a SAG; Tal atividade será realizada de forma controlada, através de cadastramento e acompanhamento individual, de modo a preservar o patrimônio e controlar as múltiplas entradas.

 

 

Após as avaliações da situação e das propostas apresentadas pelos presentes ficou decidido, por consenso, pela Congregação:

- Uma reunião coletiva com docentes e técnicos da EBA e FAU na próxima semana para definirmos as estratégias coletivas que serão adotadas;

- Formação de uma Comissão de docentes para dialogar diretamente com a Reitoria, pressionando por uma solução imediata e para divulgar através de notas para órgãos e instituições internas e externas à universidade a gravidade da situação e as medidas adotadas pela Unidade. Atividades extracurriculares, de mobilização acadêmica, são bem-vindas neste momento e devem reforçar o caráter de coletividade.

- Formação de uma Comissão para avaliar os espaços e rever os horários, para tentar dar continuidade ao semestre 2016/2; O uso do térreo e bloco D dependerá das disponibilidades externas e será definido para atender às necessidades acadêmicas e administrativas da EBA. Haverá necessidade de proposta de um novo layout, a ser definido junto com os chefes de departamentos e chefias executivas, incluindo o CAEBA e em parceria com a FAU. A primeira reunião dessa Comissão foi agendada para a próxima segunda-feira, dia 17 de outubro.

- Formação de uma Comissão para avaliar as demandas dos laboratórios de pesquisa e atividades de extensão;

 

A Direção comunica ainda que:

- As notas oficiais continuarão frequentes, na medida das novas informações a divulgar. A determinação do espaço físico para o retorno às aulas dependerá de informação passada pela Reitoria à Direção e Unidades que disponibilizam salas para uso da FAU/EBA;

- Todas as atividades acadêmicas devem continuar suspensas, como decidido, até o dia 21/10;

- O THE continua em andamento e as provas serão realizadas em salas do CCMN;

 

Agradecemos o apoio e a compreensão de todos.

 

A Direção.

 

Reinício das aulas

Comunicamos que o reinício das aulas do período 2016/2 se dará no dia 07 de novembro 2016. A alteração da data anterior (24/10) fez-se necessária  para que sejam finalizadas as ações  voltadas para a realocação das disciplinas de graduação e pós-graduação da EBA e da FAU,  nas salas disponibilizadas por outras unidades, além das instalações do primeiro e do segundo andar do prédio da Reitoria.

Pró-Reitor de Graduação, Prof Eduardo Serra

 

NOTA OFICIAL - 11 de outubro de 2016


Após reunião com a Reitoria, no dia 10 de outubro, sobre a situação do prédio informamos que:

- O prédio apresenta danos estruturais nas lajes e vigas existentes entre o 8º e o 9º andar, porém não apresenta risco de colapso; 

Ainda não se sabe a estrutura danificada suportará o peso do reservatório de água quando for abastecido;

Do 3º ao 9º pavimento temos restrições de uso de água, energia, lógica e elevadores;

Existe risco de desplacamento em algumas áreas;

Ainda não temos os laudos finais do CBERJ, Polícia Federal e da UFRJ/COPPE/ETU/PU;

O laudo da Defesa Civil interditou o 8º e o 9º andar;

As obras emergenciais deverão ocorrer num prazo de aproximadamente 180 dias e seguirão a seguinte ordem:

·         Remoção dos escombros;

·         Análise estrutural e demolição das áreas afetadas;

·         Escoramento e tratamento/reforço da estrutura;

·         Recuperação da rede elétrica, hidráulica, lógica e incêndio;

 

A subestação do térreo foi religada e já temos energia no bloco D, 1º e 2º andares, porém nem todas as tomadas estão funcionando, assim como alguns dos aparelhos de ar condicionado apresentam problemas.

Estamos trabalhando para a instalação dos setores administrativos no espaço do CLA e a retomada das aulas no bloco D. Quanto as demais turmas que ocupam as salas do 6º e 7º pavimentos ainda não temos um local definido. Nosso esforço junto com a Reitoria está sendo em tentar manter a Escola, a mais unida possível para que os estudantes não sejam prejudicados tendo que assistir aulas em diferentes Unidades.

Salientamos ainda que a PR1 suspendeu as aulas até o dia 24 de outubro, portanto os professores que estiverem continuando com as suas disciplinas em outros locais durante esse período não podem dar falta e o conteúdo precisará ser reposto caso algum discente se sinta prejudicado.

 

Agradecemos a compreensão e o apoio de todos.

 

A Direção.